segunda-feira, 21 de abril de 2014

Juventus parabeniza Benfica campeão; quinta-feira equipes se encontram pela Europa League



No dia de ontem, o adversário da Juventus na semi-final da Europa League, o Benfica, conquistou o título do Campeonato Português pela 33ª vez, deixando seu rival Sporting à 7 pontos atrás, faltando duas rodadas para o fim do campeonato. A Juventus deixou uma mensagem em seu site oficial e em seu twitter parabenizando os "Encarnados" pela conquista do feito.

Em nota oficial, a Vecchia Signora escreveu : "O Benfica, próximo adversário da Juventus na Europa League, chega a este confronto com mais um título na prateleira. A equipa de Jorge Jesus sagrou-se campeã de Portugal pela 33.ª vez, batendo por 2-0, com um bis de Lima, o Olhanense, treinado por outro antigo jogador bianconero, Giuseppe Galderisi".

Juventus e Benfica se enfrentam nesta quinta-feira, às 16:05h de Brasília, no Estádio da Luz pelo jogo de ida da semi-final da Europa League. 

"Quinta-feira será um belo desafio", concluiu um post da Juventus no Twitter.

sexta-feira, 18 de abril de 2014

Pirlo lança autobiografia: Penso, logo jogo


Por André Wuicik

Jogador extremamente hábil, inteligente e calmo dentro de campo, sempre fora um grande mistério saber o que se passava na cabeça de Andrea Pirlo, o notável meio campista e ídolo de Milan, Juventus e  Seleção Italiana.
                 
Se dentro de campo o italiano de 34 anos é o típico maestro, destaca-se em sua figura pública uma pessoa calada, que em nada se assemelha a outros astros da Azurra, como os excêntricos Balotelli e El Sharawy, por exemplo.

Pois foi na última terça feira (15/04), em Turim, que Pirlo decidiu quebrar o habitual silêncio e contar histórias da vida de um atleta que possui em seu currículo títulos nacionais, Champions League e até Copa do Mundo.
Junto com jornalista, Pirlo comenta sua carreira em livro intitulado "Penso quindi gioco" (Penso, logo jogo).
              

A obra, intitulada de “Penso, logo jogo”, foi escrita em parceria com o jornalista Alessandro Alciato, e nela,  Pirlo comentou diversas situações de sua carreira, como oportunidades de atuar em outras potências mundiais e o prazer de jogar pela Seleção Italiana.

 Um Azurri com toque Rojo 

Foi no segundo semestre de 2010, e na época, nada era melhor do que o Barcelona de Pep Guardiola, equipe que encantou o mundo com um toque de bola hipnótico e um estilo de jogo quase inigualável.
              
Na ocasião, Milan e Barcelona se enfrentavam em um torneio amistoso, e o encontro de Pirlo com Pep, foi, ao menos nos bastidores, memorável.
                 
Para poder até então acompanhar o ritmo frenético do Barça, apenas meio campistas de alto padrão, como Xavi e Iniesta, poderiam articular a principal engrenagem da máquina grená. Poucos sabiam, mas Pirlo poderia estar no meio do “Tick-Taka”, e tinha o endosso do próprio técnico catalão para, em suas palavras, “ser a cereja do bolo”.

 “Em 25 de agosto de 2010, durante o Troféu Gamper entre Milan e Barcelona, Guardiola me chamou depois do jogo para seu escritório. Depois de alguns minutos, Guardiola chegou ao ponto: ‘Nós somos muito fortes, não posso reclamar, mas você seria a cereja do bolo. Nós estamos atrás de um meio-campista para alternar com Xavi, Iniesta e Busquets, e o meia é você. Você é um fora-de-série!”, teria dito Pep.

Nem Real, nem Barça: Pirlo decidiu deixar o Milan para ser o maestro da Juventus em 2011 (Foto: Getty Images).
“Durante aquela meia hora, eu fiquei completamente em silêncio e o deixei falar. Eu ouvia e balançava a cabeça. Estava mais atordoado do que animado: mexido pela situação, mas de uma forma positiva”, finalizou Pirlo.

Além do Barça, Pirlo foi convidado, ainda em 2006, para jogar no Chelsea, e logo depois a participar do Real Madrid de Fabio Capello. Em ambas as oportunidades, o jogador teve sua vontade sobreposta pelo desejo do Milan em manter o atleta.

O destino de Andrea, no entanto, foi acabar no Norte da Itália, quando em 2011 acertou sua saída do Milan para a Juventus.

Melhor que sexo

Um dos ingredientes de Pirlo para ser ídolo em duas potências do mesmo país, é a capacidade de jogar bem e ganhar títulos pela esquadra nacional. Sobre a possível tensão em uma final de Copa do Mundo em 2006, o “maestro” responde com certo blasé: “Passei o dia 09/06/2006 em Berlim dormindo e jogando PlayStation. À noite, ganhei a Copa do Mundo".

Para Pirlo, atuar pela seleção italiana é um prazer duradouro e inigualável: “Na maior parte do tempo, é melhor do que sexo: dura mais tempo e, se ela (a Itália) falha, não pode ser apenas sua culpa”.

Essa camisa, te dá inteiramente uma nova imagem em todo o mundo. Te leva ao nível mais alto. Muito melhor ser um soldado no gramado do que no quarto”, disse o meia.

Sobre o futuro, na seleção a despedida é certa após a Copa no Brasil, “para dar espaço aos mais jovens”.


Já a decisão de ter deixado o Milan rumo a Juve, é história que permanece sendo escrita, e a única coisa que Pirlo conclui, foi a de que a decisão contribuiu para o melhor de todos. Resta agora, acompanhar a reta final da carreira de um verdadeiro ícone do futebol mundial, um dos vestígios do futebol clássico, que pensa, e por enquanto, ainda existe.

ATUALIZAÇÃO

A biografia de Pirlo foi lançada em abril de 2013. Essa semana foi lançada sua versão em inglês.
Veja um selecionado dos grandes momentos da carreira de Pirlo:

quarta-feira, 16 de abril de 2014

A Europa League está em Turim. Ficará por uma temporada?

Em evento que contou com a participação da lenda bianconera e presidente da UEFA Michel Platini, a taça da Europa League que terá sua final decidida no Juventus Stadium em 14 de maio foi entregue à cidade sede. A Juve começa a luta por uma vaga na decisão na quinta-feira 24 de abril fora de casa contra o Benfica, o jogo de volta será em 1º de maio. Na fase quartas de final Conte demonstrou que com o italiano quase garantido, o foco agora é a UEL, onde a Juve figura como favorita entre os clubes que sobraram na competição. Que o favoritismo seja confirmado!

Platini entrega o troféu para Piero Fassino, prefeito de Turim

Quando a Juve será campeã?

Após 33 rodadas a vantagem de oito pontos sobre a Roma é confortável e a dúvida não é mais se a Juve será campeã italiana pela terceira vez seguida, mas sim em qual rodada o scudetto será revalidado.

Confira as combinações de resultados necessárias para que o título seja confirmado:

Sexta-feira (25 de abril): A Juventus pode sagrar-se campeão nesse dia sem entrar em campo caso vença o Bologna no próximo sábado e a Roma some apenas um ponto nos dois próximos jogos contra Fiorentina e Milan.

Segunda-feira (28 de abril): Se a Roma fizer quatro pontos (uma vitória e um empate) nos jogos contra Fiorentina e Milan, a Juve garante o título contra o Sassuolo se abrir dez pontos na liderança com apenas três jogos para o fim do campeonato.

Segunda-feira (5 de maio): Se a diferença de oito pontos entre Juve e Roma se mantiver pelas duas próximas rodadas, a Juve pode garantir o scudetto matematicamente no Juventus Stadium contra a Atalanta e visitar a Roma na rodada seguinte já campeã italiana.

quinta-feira, 20 de março de 2014

O gol que custou 25 milhões de euros

 
Beppe Marotta, diretor da Juventus, fez as contas da derrota (0-1) contra o Galatasaray, na última rodada da fase de grupos, que impediu a Juve de chegar à fase eliminatória da Champions League.

"Os clubes de futebol têm de lidar com fatores improváveis, que são as incertezas do jogo. Um mero gol pode ter um impacto enorme. A nossa eliminação da Champions custou-nos 25 milhões de euros", referiu em declarações ao Corriere dello Sport, destacando as principais dificuldades estratégicas da Velha Senhora.
 
"O nosso crescimento financeiro é lento comparativamente com o resto da Europa, com Inglaterra por exemplo. Em alguns estádios, temos menos de 50 por cento de espectadores. Mas o novo estádio foi um fator chave na diversificação das receitas. Mais torcedores no estádio significa mais oportunidades no mercado."